Recordar Angola. Fotografias e histórias. Books and photos, livros e memórias

Ambriz, Ambrizente, Benguela, Caála,Cabinda,Caconda,Camambatela, Cambambe, Carmona(Uíge),Catumbela,Cela,Chiloango,Chingorói,Chinguar,Cubal,Cuchi,Cuíto,Cuma, Cunene, Dirico, Dondo, Dundo,Gabela,Ganda,Camacupa Saurino,Landana,Lobito,Longonjo,Luacho,Luanda, Luso, Malanje,Mavinga, Moçâmedes(Namibe), Moxico, Mussungue, Negage, Nova Lisboa (Huambo),Nova Sintra(Catabola), Novo Redondo (Sumbe),Ongiva,Porto Alexandre,Porto Amboim,Ruacaná,Lubango,Salazar,Sanza Pombo,Bailundo

A minha fotografia
Nome:
Localização: Parede, Portugal

quarta-feira, março 17, 2010

Novos convidados disponíveis no meu site

8 de Maio de 2010. Convidados: Pedro e Nuno Silveira Ramos (ouvir)



Quando, em 1978, um grupo de jovens angolanos decide fugir para Portugal a bordo de um pequeno veleiro sem luzes nem radar, não fazia ideia do que os esperava. Pedro era um dos tripulantes do Tartan. Hoje , com a ajuda do irmão, conta a história num livro e nesta entrevista. Revelações de uma aventura que poderia ter acabado em tragédia. Um pequeno rádio a pilhas foi o seu sistema de navegação e a sua salvação. Histórias para guardar na memória de todos. O livro chama-se "Tartan, as velas da liberdade". Uma conversa ainda à memória do Miguel Lemos e de todos os outros cinco aventureiros.

José Nuno Bobela-Motta da Silveira Ramos nasceu no Huambo em 1964. Após o início da guerra civil, viveu com a família no Namibe, em Benguela e em Luanda. Meia dúzia de anos depois da independência saiu do país com um salvo-conduto temporário e viajou para Portugal. Em 1987 partiu para Macau, onde estudou Comunicação Gráfica e Guitarra Clássica e onde exerceu funções de realizador de rádio na Teledifusão de Macau, profissão que viria a retomar no regresso a Portugal, depois de 1999.
Pedro João Bobela-Motta da Silveira Ramos nasceu em Lisboa em 1959 e meses depois viajou para Angola. Passou a época colonial no Huambo e, tal como os seus familiares, passou o tempo de guerra civil em fuga entre Lubango, Namibe, Benguela e Luanda. Na capital angolana, ainda estudante, fez natação de competição no Clube Nun’Álvares Pereira e desenvolveu a sua paixão pelo mar e pela vela. Em 1978, foi um dos que fugiu para Portugal no veleiro Tartan. Actualmente, trabalha numa empresa de observação de golfinhos no Algarve

1 de Maio de 2010. Convidado: Roberto Manuel de Sousa Correia (ouvir)



Uma história de vida cheia de surpresas, altos e baixos. Dificuldades e revelações. Nasceu em Moçâmedes (Namibe) corria o ano de 1933. A sua familia foi para fora de Portugal há quase 200 anos. Brasil, Angola e Portugal correm-lhe no sangue. Hoje vive em Coimbra. É autor de vários volumes sobre Datas e Factos da História de Angola]

24 de Abril de 2010. Convidado:Henrique dos Santos Martins de Faria (ouvir)



Um apaixonado e filho do Cubal. Médico cardiologista em Coimbra, Henrique Faria retomou o contacto com Angola muitos anos depois de ter vindo para cá. Hoje visita a terra que o viu nascer de quando em vez, para lhe pacificar o coração, doente de saudades. Uma conversa cheia de memórias de uma família que mistura Angola, França, Portugal e Bélgica

17 de Abril de 2010. Convidado: António Monteiro(ouvir)



Ele é seguramente um dos diplomatas com maior conhecimento da realidade africana, sobretudo no que diz respeito a Angola. Esteve envolvido em várias negociações de paz, ele foi um dos discretos obreiros dos acordos de Bicesse. Eis o Embaixador António Victor Martins Monteiro, um filho de angola, de Catabola, Luena e do Mundo. Uma viagem à história de um país

10 de Abril de 2010. Convidado: Maria Alexandre Dáskalos(ouvir)



Carrega o nome e a responsabilidade de pertencer a uma notável familia de angolanos nascidos no planalto: Os Dáskalos, de origens gregas e que chegaram a Angola no início do século passado. Filha do poeta e nacionalista angolano, Alexandre Dáskalos. Maria Dáskalos é mestre em História dos séculos XIX e XX. Escreveu um livro em que defende que a Angola moderna começou com o trabalho do General Norton de Matos. Uma conversa fascinante.

27 de Março de 2010. Convidado: Inácio Rebelo de Andrade



Nasceu em 1935 na cidade do Huambo. Cresceu nas ruas do planalto, apanhou pássaros com visgo, aprendeu a ter como certa aquela felicidade de uma cidade no interior de Angola. Professor Catedrático aposentado da Universidade de Évora, é licenciado em Agronomia pela Universidade de Luanda, Doutorado em Engenharia Agronômica pela Universidade Técnica de Lisboa. Sempre se abeirou do saber das letras, da poesia, da escrita e até das editoras. Hoje ele continua a escrever sobre Angola e a sonhar com o Huambo

20 de Março de 2010. Convidado: Carlos Pinto Coelho(ouvir)



Jornalista em Moçambique e Portugal, director de várias publicações, autor de programas de rádio e televisão, Director de Programas da RTP, fotógrafo. África faz parte de muitas das suas memórias. Nasceu em Portugal, é certo, mas Moçambique fez e faz parte da sua vida, assim como o jornalismo, a escrita, a fotografia e as artes. Depois do reconhecimento pelo Estado Português, o Governo Francês reconheceu-lhe o mérito e entregando-lhe as insígnias de “Oficial da Ordem das Artes e das Letras”

13 de Março de 2010. Convidado: Dany Silva(ouvir)



Um filho de Cabo Verde com alma luso-africana. Cursou agronomia mas foi a música que o deixou cativo. Dono de uma voz por todos reconhecida, Dany Silva encerra muitas e boas histórias da sua terra e da forma como os amigos portugueses o acarinharam

6 de Março de 2010. Convidado: António Mateus(ouvir)



António Mateus viveu por entre Portugal, Moçambique e África do Sul. Jornalista de Agência e da RTP, ele acompanhou de perto as negociações de paz em Angola e Moçambique, a libertação de Nelson Mandela e outros acontecimentos marcantes para África. Uma conversa de sentimentos, de um homem que já só consegue pensar em voltar a terras tropicais.